sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Sangue Vermelho em Campo de Neve - Inverno






(...)
Não, não. Deixe-me entrar. As maçãs, o cheiro a maçãs, estou a senti-lo. Não me deixe ficar aqui fora, ao frio, no meio da neve. O vento forte atinge as minhas mãos, a minha cabeça, como agulhas, até que não sinta mais pele gelada, nem carne, nem gordura a cobrir os ossos, o crânio.
Não vê que estou a desaparecer? Não, não se preocupa com isso, não é verdade? 
Os vermes já se mexem na terra.
Eu já os ouço. E aos ratos. Eles adoram o calor e ficam excitados, lutam e retalham-se em pedaços. «já devíamos estar mortos», dizem eles, «mas tu acendeste uma fogueira e consegues manter-nos vivos. Somos a tua única companhia no frio, no gelo.» Mas que espécie de companhia é essa? Será que realmente estamos vivos ou será que já morremos há muito tempo, neste lugar tão apertado que não nos deixou espaço para amar?
Agarro num pedaço de tecido frio e húmido e envolvo nele o meu corpo magro enquanto observo o lume a crepitar na lareira, o fumo a sair pelo buraco negro e a espalhar-se no ar, passando pelos ramos adormecidos dos pinheiros, das outras árvores, por cima do musgo e do granito, e do gelo do lago.
(...)

Faltam 40 páginas para acabar de ler este livro que considero absolutamente maravilhoso. Adoro a forma como está escrito, embora esteja a ler a versão portuguesa, com descrições de cortar a respiração e que nos conseguem fazer sentir nos locais descritos ou até mesmo que somos nós quem vive aquela situação.
É um romance policial, com este último traço muito marcado e onde os pormenores não faltam, o que contribui imenso para o desenrolar da história e para, na minha opinião, nos ser mais fácil acompanhar.
Alguns dos detalhes que acompanham o texto, principalmente os que se referem às partes mais brutais do que pode envolver um crime, podem ser um pouco bruscas mas nada difícil de ultrapassar. Apesar de tudo é uma leitura bastante leve.
Mesmo para quem não está habituado ao estilo policial não há que preocupar porque há muitas outras envolventes e que até afastam o protagonismo do crime.
Aconselho vivamente que leiam este livro. É o primeiro de uma tetralogia de Mons Kallentoft, escritor sueco, e tenho a certeza que os próximos três (o Verão, o Outono e a Primavera - por esta ordem) são igualmente brilhantes.
Não pensem que tudo o que acham ser verdade é. Há muitas voltas.


Lena ♥


©Helena Pereira, Sangue Vermelho em Campo de Neve - Inverno, 2014 All Rights Reserved.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Thank you for passing by and commenting on my blog!
I answer when I see the comments.
xx